Style Sampler

Layout Style

Patterns for Boxed Mode

Backgrounds for Boxed Mode

All fields are required.

Close Appointment form

Como cuidar de cães idosos

icon
Como cuidar de cães idosos

No Comments

Como cuidar de cães idosos

A velhice afeta os cães, da mesma forma que influencia o comportamento e saúde dos humanos. É importante conhecer os sinais de velhice do seu animal para que possa reconhecer sinais de doença ou simplesmente ajustar brincadeiras e atitudes às mudanças pelas quais o cão passando. Os cães têm diferentes ritmos de envelhecimento. Ao contrário dos humanos, que têm um período alargado de infância, adolescência e velhice, os cães vivem a grande maioria das suas vidas no estado adulto. Os cães de porte grande têm uma média de vida menor e podem ser considerados idosos aos 6/8 anos. Os cães de porte pequeno vivem geralmente até mais tarde e por essa razão, os sinais de velhice surgem também mais tardiamente.

 

como cuidar de cães idosos

como cuidar de cães idosos

Sinais de Velhice •Pêlo grisalho – por vezes pode haver um branqueamento precoce do pêlo, tal como acontece com o cabelo dos humanos. Pêlo áspero – o pêlo passa por transformações na sua estrutura com o passar dos anos. Menor densidade e menos suavidade são características do pêlo de um cão idoso. A alimentação de boa qualidade pode contudo atenuar estes sinais; •Sedentarismo – os cães idosos podem-se tornar mais preguiçosos, valorizando mais o tempo no sofá. Até certo ponto, isto pode ser previsto através do temperamento da raça – há raças que permanecem brincalhonas e mais ativas até mais tarde – mas cada cão é diferente e tem a sua própria personalidade. Uma doença pode também contribuir para uma redução da atividade do animal. •Menor apetite – Intimamente ligado ao sinal anterior, os cães que abrandam o ritmo de vida, têm necessidade de repor menos energia e por isso não necessitam de tanta comida. Isto não quer dizer que o cão está-se a alimentar mal, apenas que não tem tanta fome, por não fazer tanto exercício. Os sinais de velhice manifestam-se frequentemente sobre a forma de doenças. Doenças Características da Velhice: Diabetes Tal como os humanos, os cães idosos estão mais sujeitos a desenvolver diabetes do que os novos. Os sintomas mais comuns são consumo excessivo de água, vômitos, fadiga. O tratamento possível para cães diabéticos são as injeções de insulina. As injeções podem ser administradas pelo dono, desde que primeiro observe o veterinário a fazê-lo. Dependendo dos casos, os cães podem necessitar de uma injeção diária ou então várias.

Os cães com diabetes podem viver com qualidade durante vários anos, dois em média. Sem dor e sem sintomas, durante este tempo, apenas a necessidade de tomar injeções diferencia este cão de qualquer outro. Problemas Cardíacos O coração dos cães é uma máquina poderosa e impressionante. Na sua plena forma aguenta uma pressão incrível, impressa pelo exercício que o cão desenvolve durante um dia inteiro de caça ou no campo a pastorear o rebanho. Com a idade, este músculo tendo contudo a perder elasticidade. Com o calor ou exercício, o cão evidencia um cansaço cada vez mais precoce. O cão deve ser levado ao veterinário quando qualquer apresentar qualquer problema anormal. O sistema cardiovascular está intimamente ligado ao sistema respiratório e a falta de ar, tosse ou outros sintomas semelhantes são sempre alertas. Com um tratamento adequado, os cães com problemas cardíacos podem levar uma vida normal, com algumas condicionantes apenas ao nível de exercício. Tumores Algumas raças estão mais predispostas a desenvolver tumores do que outras.

Os tumores podem ser benignos são relativamente comuns e são uma consequência normal do envelhecimento. Mais preocupantes são os tumores malignos que podem exigir cirurgia, quimioterapia, entre outros tratamentos mais agressivos. Apenas o veterinário pode aconselhar os tratamentos mais adequados ao caso do seu animal. Quanto mais cedo forem detectadas estas situações, maior são as hipóteses de sucesso do tratamento. A escovação do pêlo é uma boa atitude para investigar estas situações. Procure sempre por elevações e caroços enquanto trata do pêlo do cão. Outros sintomas são a perda de peso, vómito, diárreia, feridas que não saram. Problemas nas Articulações Entre os problemas mais comuns nas articulações que surgem nos cães idosos está a artrite. Dor, inchaço, perda do alcance na passada ou recusa em fazer exercício são os principais sintomas de doenças articulares. As regiões mais afetadas são os quadris, os joelhos e os cotovelos dos cães. Em alguns casos pode ser necessário operar o animal, sendo que o principal objetivo é a redução da dor, o que muitas vezes implica a limitação da mobilidade. Outros tratamentos comuns são compostos por medicamentos com o mesmo objetivo de reduzir a dor.

Problemas Oculares Os olhos dos cães idosos são muitas vezes afectados pelo envelhecimento. Entre a doença mais comum encontra-se as cataratas. As cataratas são uma película que se forma no olho e que turva progressivamente a visão do cão. Os olhos tornam-se azuis ou acizentados e o cão evidencia todos os sinais de indicam cegueira. Problemas Renais e Urinários As inflamações nos rins podem ter vários graus de gravidade, que podem exigir  internação do cão. Entre os sintomas estão o excesso de sede e de urina. Por vezes a urina pode tornar-se mais escura ou com vestígios de sangue. Nos casos menos graves medicamentos orais e uma dieta especial, podem ser a solução.

A incontinência é uma doença que se manifesta na velhice. Se o seu cão começar a urinar dentro de casa, não assuma que perdeu a educação que lhe deu. Por detrás deste comportamento pode estar um problema de ordem médica. Eutanásia(Para mim é a última das atitudes, só depois de esgotar todas possibilidades mesmo!!) O aparecimento destas doenças não significa que nada há a fazer e que o melhor é deixar o animal morrer, pois chegou a hora dele. Pelo contrário, muitas destas doenças acarretam dor e com o tratamento adequado, a qualidade de vida do animal pode ser assegurada, prolongando também a sua vida. Contudo, se o tratamento não for suficiente para minimizar a dor, a eutanásia, pode ser uma opção a ponderar. Nestes casos, fale com o veterinário e peça segundas opiniões. Não sendo uma decisão fácil, é muitas vezes a maior prova de estima que podemos dar a um cão em sofrimento.
Síndrome da Disfunção Cognitiva em Cães(Idosos) Esta condição, chamada a síndrome do cão senil ou velho, é uma doença recém-reconhecida, algo semelhante à doença de Alzheimer em pessoas. Em cães com síndrome de disfunção cognitiva, o cérebro passa por uma série de alterações que resultam em um declínio das faculdades mentais associados ao pensamento, o reconhecimento, memória e comportamento aprendido. Cinqüenta por cento dos cães com idade acima de 10 irá apresentar um ou mais sintomas da síndrome de disfunção cognitiva. Disfunção cognitiva é uma doença progressiva com sinais crescentes de comportamento senil. Desorientação é um dos principais sintomas da síndrome de disfunção cognitiva. O cão parece perdido em casa ou no quintal, fica preso em cantos ou embaixo ou atrás de móveis, tem dificuldade em encontrar a porta (fica no lado da dobradiça ou vai para a porta errada), não reconhece as pessoas familiar, e não responder a estímulos verbais ou seu nome. Perda da audição e perda de visão devem ser descartadas. Padrões de atividade e do sono são alterados. O cão dorme mais em um período de 24 horas, mas dorme menos durante a noite. Há uma diminuição da atividade proposital e mas passam vagar sem rumo e ritmo. Cães com disfunção cognitiva também podem apresentar comportamentos compulsivos como: circular, tremores, rigidez e fraqueza. Rotina em casa é outra área que sofre. O cão pode urinar e /ou defecar dentro de casa, às vezes até na frente de seus donos, e pode sinalizar com menos frequência para ir lá fora. Muitas vezes, as interações com os membros da família tornam-se muito menos intenso. O cão procura menos atenção, muitas vezes vai embora ao ser acariciado, mostra menos entusiasmo quando o cumprimentam, e pode já não cumprimentar sua família. Outros cães parecem precisar de contato humano, 24 horas por dia. Alguns desses sintomas podem ser devido a mudanças relacionadas à idade física e não a disfunção cognitiva. A condição médica, como câncer, infecção, falência de órgãos, ou efeitos colaterais dos medicamentos pode ser a única causa das mudanças de comportamento ou poderia ser, agravando o problema. Assim, problemas médicos deve ser testado para e eliminados antes que os sintomas senis sejam atribuídos a síndrome de disfunção cognitiva. Pesquisa sobre envelhecimento do cérebro canino revela uma série de processos patogênicos que poderiam ser responsáveis ​​por muitos dos sintomas da síndrome de disfunção cognitiva. Uma proteína chamada B-amilóide se deposita nas substâncias branca e cinzenta do cérebro e forma placas que resultam em morte celular e encolhimento do cérebro. Alterações nos neurotransmissores químicos diversos, incluindo a serotonina, noradrenalina e dopamina, têm sido descritas. Níveis de oxigênio no cérebro de cães senis são diminuídos. Não há nenhum teste específico para síndrome de disfunção cognitiva. O número de sintomas as exposições de cães e da gravidade do comportamento senil são considerações importantes a fazer o diagnóstico. Uma ressonância magnética pode mostrar algum grau de encolhimento do cérebro, mas o teste não é susceptível de ser feito a não ser um tumor cerebral é suspeitado. Conscientização do diagnóstico torna mais fácil entender o comportamento do cão. Tratamento: A droga Anipryl , usado por seres humanos para tratar a doença de Parkinson, foi uma ótima solução para melhorar drasticamente os sintomas e a qualidade de vida de muitos cães com síndrome de disfunção cognitiva. A droga é dada uma vez por dia como uma pílula. Porque o tratamento médico está agora disponível, é ainda mais importante buscar a consulta veterinária para mudanças de comportamento em cães idosos. Um benefício adicional pode vir de alimentação terapêutica dieta Hill /d. Esta dieta é especialmente formulado com antioxidantes extra para cães mais velhos. Cães mais velhos também podem se beneficiar do tratamento com acupuntura e ervas chinesas.

Fonte: http://arcadenoe.sapo.pt/artigo/cao_idoso_cuidados_e_doencas/378 http://pets.webmd.com/dogs/cognitive-dysfunction-syndrome-dogs http://207.56.179.67/steve_hodel/2009/06/old-dog-new-trick.html

 

CONSULTE SEMPRE SEU VETERINÁRIO, não medique seu animal.

==============================================================================

Cães idosos precisam de cuidados especiais, pois podem sofrer com dores de coluna e artrose. A Fisioanimal tem uma equipe de veterinários fisiatras, acupunturistas, nutrólogo, homeopata e especialista em dor e cuidados paliativos, totalmente preparados para oferecer uma melhor qualidade de vida para nossos amigos de quatro patas, nos melhores anos de suas vidas !

Entre em contato com a Fisioanimal
(011) 3862-6398 ou atendimento@fisioanimal.com

Espero por vocês !

Dra. Maira Formenton

===============================================================================

        You might also like:
1
  • Share This

Related Posts

Submit a comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You must be logged in to post a comment.